5.1.18

Por que escrever?

Eu não escrevo para que alguém leia,
não escrevo para que alguém goste,
por mais que eu fique feliz que alguém leia,
e que goste.

Eu não escrevo esperando algo em retorno.
Eu não escrevo com um fim.
Eu escrevo como consequência de quem sou.

Eu sou um mar de letras,
a escrita é a minha água.

Eu não escrevo porque alguém me pediu,
ou porque alguém me incentivou,
ou porque alguém gosta.

Mas porque é o que sei,
o que sou.


Vamos falar de amor

O amor é o remédio que cura todas dores.
Há quem ache estúpido e diga algo como: "Fale para alguém que está com o braço quebrado que você a ama, isso não vai curá-lo!! É um grande besteirol, amor não é remedio, não cura nada!".
Pois bem, à estes digo que o amor cura sim, mas ele cura as feridas da alma. 

Muitas pessoas preferem guardar apenas as boas lembranças da vida, e não há nada de ruim nisso. Guardar o que é bom é abraçar o que faz bem e deixar ir o que não faz. É escolher as rosas boas para cuidar e podar as que já não tem mais vida. 
Guardar as coisas ruins, máguas, dores, traumas, remorsos e demais coisas tóxicas, não faz bem para a saúde emocional, não fazem bem para a alma, apenas a encarcera, criando uma prisão perpétua em nós mesmos, sem passe livre pra saídas, sem direito à luz do sol. Que seja guardado somente o aprendizado, o que há de bom.

Mas vamos falar de amor...

Uma vez deixado para trás o que não faz bem e dado espaço para o amor e as coisas boas crescerem, a saúde melhora, ganha uma nova perspectiva, forças novas, esperança renovada. Espaço que antes não se tinha, mas que se obteve quando foi limpo de tudo que não fazia bem. O amor uma vez plantado, em crescimento e manutenção, gera restauração, gera bons frutos. Não somente em si próprio, porquê quando se ama, se transborda, e assim, as pessoas de fora também são tocadas.

Que possamos amar, sim, a nós mesmos, mas acima disso, ao nosso próximo, e principalmente àqueles que achamos não merecer. O amor cura, o amor salva. Lembre-se disso.

18.10.17

Divergências convergentes

Os cálculos e suas letras 
A escrita e a métrica poética,
Embora divergentes,
convergiram na intersecção alfabética
onde, inevitavelmente
seus caminhos congruiram
concomitantemente

Bruna O.

17.9.17

Desprenda-se

Acho que chega um momento em nossa vida em que temos que tomar atitudes.
Nos tornar adultos.
Pois ser adulto é isso, é saber tomar decisões, fazer escolhas, e viver com elas.

Chega uma hora em que adolescentes tem de virarem adultos .
E isso significa tomar decisões que antes não tomava.

Transformar-se.
Desprender-se.
Agir.
Escutar.
Aprender.
Evoluir.

Transformar-se: tornar-se em algo novo, auto-modificar-se internamente, passar por transformações como pessoa.
Uma delas é desprender-se das coisas que a mantinha presa, que a mantinha em um ciclo constante redundante e interminável.
Desprender-se de si mesma.
Para isso é preciso agir, tomar atitudes que mudem sua situação.
Escutar as coisas ao seu redor, parar e contemplar, sentir. Abrir-se ao que é externo.
Só assim é possível aprender. Seja com os outros ou consigo mesma.
Para aprender é preciso transformar-se, desprender-se, agir e escutar.
A consequência natural desse processo é a evolução.
Ela é envolvida pelo aprendizado e a tranformação, porém também pelo desprendimento, já que algo só evolui quando se transforma e deixa de ser aquilo que era.

Cada pessoa possui sua herança genética que a determina como ela é, seu código que a pré-determina no momento em que é gerada para o resto de sua vida.
Mas essa verdade não é absoluta.
Tendo conhecimento de que transformações são necessárias para a evolução e que a podemos tornar possível por meio de nossas atitudes cabe a cada um refletir sobre e decidir como serão as coisas.
Como será sua vida. Como será as futuras gerações. Como sua vida irá impactar nas outras. Como as outras impactam ou não a sua.

30.7.17

Perdoe-se



Perdoe,
não guarde ressentimento.
Perdoe,
deixe o passado para trás.
Perdoe,
o perdão cura.
Perdoe,
e não esqueça:
perdoe-se também.
Às vezes é apenas isso que você precisa.

By Bruna O.

1.7.17

A escrita como ela é

Alguns escrevem com palavras
outros com números

Alguns escrevem com desenhos
outros com pontos

Alguns escrevem com dit's e dah's
outros com claves, mínimas e compassos.

Alguns escrevem sem saber
que escrita é uma linguagem
composta de signos
para aquele que a lê

Seu formato a define
seu conteúdo a exprime.
Suas palavras a símbolizam,
e seu idioma por fim
a codifica.


Por Bruna Ondina